domingo, 7 de agosto de 2016

[Opinião] 'Rainha Vermelha' de Victoria Aveyard


Este livro já andava pelas minhas estantes há algum tempo. Gentilmente cedido pela Saída de Emergência (Chá das Cinco), a minha estreia com Victoria Aveyard aguardava uma altura propícia para a sua leitura. Apesar de adorar distopias/fantasia, foi um género que li quase até à exaustão e queria dar uma oportunidade justa a esta leitura. Ainda bem que esperei.

Simplesmente A-DO-REI. Este ‘Rainha Vermelha’ fez-me ficar agarrada às suas páginas sem conseguir largar a leitura. Adorei a premissa e este mundo distópico criado por Victoria Aveyard.

Num mundo divido entre os Vermelhos e os Prateados, conhecemos Mare, uma jovem Vermelha sem grandes ilusões de um futuro feliz, como acontece a todos os vermelhos, principalmente àqueles sem trabalho, como era o seu caso. Um encontro nocturno acaba por mudar toda a sua vida de uma forma que nunca achou possível.

Mare vê-se envolvida numa mentira que pode destruí-la, ao mesmo tempo que descobre que não era quem pensava ser.

Acho que não houve nada que não tivesse gostado neste livro. Mare, a personagem principal nesta história, foi muito bem construída, bastante credível tendo em conta a sua faixa etária. Os restantes personagens com maior importância no enredo foram também, na minha opinião, bastante elaboradas, tendo em atenção as suas diferentes camadas, conseguindo mesmo iludir os leitores.

Esse foi outro dos factores que me arrebatou neste livro. Durante a leitura, pensamos que conhecemos a personagens que nos vão sendo apresentadas, vamos nos preocupando com eles, vamos ficando envolvidos no que representam. Se há algo que este livro me ensinou é que ninguém é aquilo que parece.

Os elementos de fantasia neste livro foram também uma lufada de ar fresco nas minhas leituras do género. As famílias com os seus poderes específicos, as diferenças entre Vermelhos e Prateados e as lutas pelo poder, trazem uma componente social a esta leitura. Facilmente conseguimos fazer comparações com as sociedades actuais e as diferenças que se podem observar.

Fiquei totalmente rendida a este livro e só tenho pena de ainda não ter o segundo livro para ler já já de seguida. Recomendo totalmente aos fãs de distopias e fantasias!


1 comentário:

  1. Oi Cátia!
    Também adoro distopias,mas confesso que esperava mais de A Rainha Vermelha.Em muitas partes me pareceu que a autora pegou partes de várias distopias existentes e elaborou a história a partir disso,não sei se foi só impressão minha por ler distopias em excesso,mas me incomodou um pouco.Sentiu um quê de X-Men também?kkkkkkkkkkkk
    Mas se foi isso a autora conseguiu criar a partir dessa mistura uma história muito coerente e com um ritmo bem rápido e envolvente.
    Vou esperar lançar o terceiro livro pra ler a trilogia em sequência.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar