quarta-feira, 29 de março de 2017

[Opinião] 'A Seleção' de Kiera Cass


Já há algum tempo que queria conhecer esta série literária da autora Kiera Cass, Comprei o primeiro livro, mas pensei sempre que primeiro iria ter todos os livros da autora, publicados pela Marcador, na estante. Finalmente conseguiu reunir os quatro livros e estreei-me então com Kiera Cass. Más noticias... Mas para a minha carteira, porque adorei este primeiro livro.


Uma vez mais parto para um mundo distópico com romance à mistura. Começando pela parte distópica do livro, conhecemos um mundo depois de uma quarta guerra mundial, mais concretamente a nação de Illéa onde todos os habitantes são divididos por castas representadas por um número, sendo a casta 1 a mais alta (que inclui a família real) indo até à 8 (os sem-abrigo. criminosos...), a mais baixa. 

Pareceu-me pouco plausível a explicação do que levou à quarta guerra mundial, mas a questão das castas funciona muito bem se pensarmos no mundo que temos hoje. Claro que não somos definidos por castas, mas não poderemos ignorar que existem, talvez não de forma tão acentuada como aqui. A parte da escolha da nova rainha, aí a que história fica interessante na minha opinião.

Quando o príncipe está em idade de casar, são escolhidas 35 raparigas que deverão viver com ele no palácio, podendo o príncipe mandar candidatas para casa até ficar apenas com aquela com quem pretende casar. Resumindo, uma espécie de reality show para escolher a nova rainha de Illéa.

É neste contexto que nos é apresentada America Singer, uma rapariga de casta 5 que recebe em sua casa, tal como todas as raparigas de Illéa da sua faixa etária, uma carta para ter a hipótese de fazer parte da selecção e poder vir a tornar-se a próxima rainha de Illéa.

Gostei da simplicidade de America, da sua ingenuidade e da sua espontaneidade. No meio das seleccionadas, consigo perceber porque se destacaria. Já o príncipe Maxon, apesar de termos uma visão mais superficial dele do que conseguimos ter de America, uma vez que todo o livro é narrado na sua perspectiva, aparenta ter uma inocência difícil de explicar, ao mesmo tempo que tem todas as outras características que imaginamos num príncipe. E depois temos Aspen, o namorado (ex-namorado?) de America. Não sei explicar, mas não consigo gostar dele. Para mim há ali qualquer coisa que mais tarde iremos descobrir.

Em suma, Team Maxon!

Este primeiro livro pareceu-me ainda apenas uma introdução a este mundo, com Kiera Cass a levantar a ponta do véu em algumas situações, mas sem revelar muito, com triângulos (e quadrados, pentagonos...) amorosos, no que promete ser uma série literária bem romântica. Algo me diz que no próximo livro a história vai ficar mais séria e segredos vão ser descobertos...

Não posso ainda deixar de mencionar a capa lindíssima, aliás como todas da série. 'A Elite', o segundo livro da série, é já a minha próxima leitura.

Sem comentários:

Enviar um comentário